segunda-feira, 26 de março de 2012

profissão: estudante

Dia desses conversando com os amigos iniciei um assunto que estava na minha cabeça fazia algum tempo. Sabem o que é ser um estudante profissional? É aquela pessoa que se especializa em tudo, menos em trabalhar. Especializou-se em ser especialista, se especializa em se especializar. E fica nisso, numa eterna função não remunerada.
Conheço uma pessoa que tem um mundo de graduações, um pouco mais de trinta anos e já na terceira faculdade. Só que nunca trabalhou de verdade, assim carteira assinada sabe, nunca prestou serviço em lugar nenhum, nem bico nem coisa nenhuma. Pra não dizer que nunca fez nada, fez um estágio numa média empresa da cidade, mas não cumpriu o prazo porque tinha que estudar e o bendito estágio estava atrapalhando. Conta com o maior orgulho do mundo que recusou uma baita proposta de emprego porque precisava viajar pra fazer uma pós-graduação em sei lá o que.
E essa pós era justamente na área da proposta recusada, recusou uma função para ir se especializar nela. (hein?)

Longe de mim dizer que não é bom estudar. Não estou de forma alguma fazendo apologia à ignorância, ao não estudo. Mas parece que tem gente que vive no mundo do faz de conta. Pior é quando pessoas assim vivem lisas, sem grana sequer pra cortar o cabelo. Pessoas com seus quase trinta e cinco anos e nunca teve um contrato de trabalho na vida, uma lista enorme de cursos no currículo, mas com o espaço de preencher a experiência profissional limpinha da silva.

Acho que tem gente com tanto medo de enfrentar a vida que ficam eternamente fingindo pra si mesmas que estão se preparando, vivem achando que estão na oitava série e ficam nessa até que a vida lhes dê um tapa na cara e mostrem que uma hora vão ter que pegar no pesado de verdade.

Já um outro amigo brinca dizendo que essa pessoa vai sim conseguir um emprego: tipo consultor do sebrae, daqueles que ensinam o que um comerciante com vinte e cinco anos de experiência no ramo deve fazer para levar seu negócio pra frente.

segunda-feira, 12 de março de 2012

mais do assunto anterior, só mais essa vez

Pronto. Deu um pouco de trabalho e levou algum tempo pra finalmente ser excluído o perfil que fizeram com meu nome. Passei aqui mesmo somente pra dizer isso, embora em outra ocasião eu tivera prometido não dar audiência pra esse tipo de coisa, só que é muito perturbador saber que tem uma pessoa doente tentando se passar por você. Ou pior, dando uma vida e uma personalidade totalmente diferente da que voce realmente tem, usando seu nome e suas fotos. Durante esses dias que procedeu a denúncia, eu estive observando o quanto de estórias estavam sendo inventadas, o quanto de pessoas mantinham contato, o quanto de pessoas diziam que queriam me conhecer pessoalmente. Até uma cirurgia 'eu' fui fazer, em Brasília. Uma cirurgia no joelho, acreditam? 'Estive' de férias também. De férias da Faculdade de Pedagogia(?)... Ah e 'eu' tinha também uma paixonite e uma amizade muito grande por um tal de Damião, um ser que eu nunca vi na vida, mas que segundo o perfil, foi meu professor, e também primeira paixão. Sem falar que foi atribuído a ele o meu gosto pela escrita e pela leitura (hein?te conheço?).
Isso são só as coisas que dá pra dizer aqui. São tantas estórias, uma mais cabeluda que a outra. Realmente tudo de dar pena. Só que de tudo, de tudo mesmo. O que mais me deixou de boca aberta foi descobrir de quem estava sendo a autoria dessas coisas. Lembrei agora de algo que o ex-jogador do time do Imperatriz fez lá pelas bandas de São Paulo. São coisas que sempre surpreendem principalmente por se tratar de pessoas conhecidas e com uma imagem a zelar. Faço essa comparação porque na minha opinião é o mesmo tipo de pessoa, psicopata.
Pois é, descobrimos quem foi. Mas não, não pretendo fazer nada contra a pessoa. O que eu mais queria era que a página fosse excluída, e isso por agora já foi resolvido. Aconselho a quem sofrer algum tipo de calúnia na internet, que denuncie à polícia, ela com certeza vai ajudar.

No mais... deixa pra lá viu
teacher? Só espero de coração que isso que você fez comigo, ninguém nunca faça com nenhuma das suas duas filhas. E que mesmo você estando tão longe, Deus olhe por elas sempre. É isso que eu desejo, do fundo do coração.
Ponho agora um ponto final nessa história, espero que você faça o mesmo.