quarta-feira, 22 de setembro de 2010

falando em formigas...

Lembrei disso aqui do ano passado:




No chão do meu banheiro aconteceu uma cena das mais dramáticas.
Perto do tapete meio encardido, perdidas na imensidão lisa da cerâmica fria e branca, duas formigas esbarravam na linha que separa a vida da morte. Ou melhor, uma já estava morta. A outra é que não sabia o que fazer com o cadáver que a perturbava. Pobrezinha, percorria a cerâmica inteira numa velocidade que eu nunca vi em formigas, desesperada, pegava o corpo morto da outra, trazia mais para perto da outra cerâmica, soltava o corpo, depois voltava, e ia de novo. Talvez chamasse por mais outras, mas ninguém veio.
Devia estar roída por dentro, toda envolta na dor da perda.
=/

Foi uma cena muito triste, não aguentei ver tanto sofrimento e pra acabar com aquela dor, pisei em cima dela.
Tão humanas as formigas. E nós, tão elas.

4 opiniões importantes:

The mentes disse...

Nossa!
voce nao tem coração rsrsrs

Luciana disse...

kkkkk adorei
só voce mesmo

Caroline disse...

Nossa. Coitadinha das formiguinhas... Huahsuahsuahsua
Ri muito!

Beijos!

Meu blog: www.mensageirosdosventos24x7.blogspot.com

Sandro Batista disse...

Texto que sugere humor, entretanto, com uma profunda reflexão...

"Nós, tão elas" é uma constatação cruel.. E a mais pura expressão da verdade....

Show


http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Postar um comentário

A leitura especializada é útil, a diversificada dá prazer!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.