quinta-feira, 1 de outubro de 2009

No chão do meu banheiro



No chão do meu banheiro aconteceu uma cena das mais dramáticas.
Perto do tapete meio encardido, perdidas na imensidão lisa da cerâmica fria e branca, duas formigas esbarravam na linha que separa a vida da morte. Ou melhor, uma já estava morta. A outra é que não sabia o que fazer com o cadáver que a perturbava; pobrezinha, percorria a cerâmica inteira numa velocidade que eu nunca vi em formigas, desesperada, pegava o corpo morto da outra, trazia mais para perto da outra cerâmica, soltava o corpo, depois voltava, e ia de novo. Talvez chamasse por mais outras, mas ninguém veio.
Devia estar roída por dentro, toda envolta na dor da perda.
=/

Foi uma cena muito triste, não aguentei ver tanto sofrimento e pra acabar com aquela dor, pisei em cima dela.
Tão humanas, as formigas. E nós, tão elas.

3 opiniões importantes:

Samuel Souza disse...

aahaahhahahahahahahahhaah
caraio... massa demais! "pra acabar com aquela dor, pisei em cima dela".

Acho q vc deve ter falado: "ah porra!"

Borabora disse...

Caramba vc matou a formiga????depois de testemunhar todo o sofrimento? Não passou pela tua cabeça que eles deveria ser casados, q o 1° morto era o marido e q a esposa tava desesperada?
agora os filhotes estão órfãos em casa.
Puxa vida, vc nao tem coração

klaudinha ribeiro disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk aiai.. to me matando d rir.. cara vc matou ela.. não se pode mais dizer q vc não mata nem 1 inseto..
eu sempre ficava seguindo formigas com o olhar.. rsrs qd pequena lembro q keria ajudar elas com akelas folhas enormes q elas levam num sei pra onde, não sei porque.. rsrs

Postar um comentário

A leitura especializada é útil, a diversificada dá prazer!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.