domingo, 23 de outubro de 2011

quem dera eu

O que eu mais queria na vida inteira (além de ser rica e conhecer a galáxia) era poder ser super sincera com as pessoas. Ao ponto de falar a primeira coisa que me vem na cabeça sem sequer pestanejar. Mas não posso por motivos óbvios, primeiro porque a boa educação não permite, meus pais me educaram de uma forma que as vezes eu até me irrito. Segundo porque vivemos numa sociedade onde somos obrigados a pensar sempre duas vezes antes de falar qualquer coisa, isso é claro se você não quiser se comprometer nem criar nenhum tipo de inimizade.
Aí seguimos assim, com apertos de mãos, abraços, sorrisos grandes e amarelos, cada um dizendo uma coisa quando na verdade a vontade é de mandar a pessoa tomar...Ah, deixa pra lá.
Lembrei agora da antiga frase do então ilustríssimo senhor deputado lá das bandas de São Paulo:



Acho a falsidade uma coisa muito linda!
'''
RIP

2 opiniões importantes:

Borabora disse...

Sim mas o sorriso amarelo é a melhor parte. Porque nem sempre vc é obrigado a abraçar. mas nada pior do que sorrir por obrigação. Sociedade linda, fantárdiga.

Poesias de uma vida disse...

Boa noite! Sou mesmo o inverso de você, quando quero colocar a boca no trombone sai de baixo. Já ouviu esse ditado "Dou um boi para entrar numa briga e uma boiada para não sair dela?" Resumindo, sou uma pessoa totalmente transparente, quando me zango com uma pessoa não consigo ser falsa, sorrir! Procuro andar na linha, mas quando o trem esquenta, minha cara...sou bem sincera!

Postar um comentário

A leitura especializada é útil, a diversificada dá prazer!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.