quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Desaparecidos?

Quem não tem um amigo que, de uma hora para outra, entra em outro mundo e desaparece do planeta? Pode terquasecerteza, esse amigo(a) começou a namorar e sumiu do mundo que o cercava. Coisa de fraco, de gente com espírito derrotista. Não acho isso normal nem acho o ideal – é perfeitamente possível continuar mantendo uma vida social ativa (ainda que menos intensa) estando namorando ou casado.

Acho esse desaparecimento o fim da picada. Tipo, a pessoa só consegue ver graça na noite se for para pegar alguém? Não consegue ficar tranqüilo batendo papo, ouvindo música bacana, falando (e ouvindo) merda. Triste, patético, eu diria. Coisa de maníaco-compulsivo (he´s a maaaaaaaaaaaaniaac).


Mas, pior do que isso, é ter de ouvir desses habitantes honorários de outro mundo as desculpas ridículas para não botar as caras na rua. Vão desde “ah, tenho trabalhado muito” até “não tenho mais paciência para essas festinhas. Dá muito pirralho lá” ou ainda, a pior de todas: “estou ficando velho(a). Não é mais minha praia. Gosto de ficar em casa, um programinha mais light”. Hum.. sei, sei, sei.... Conversa mole. O baralho e o tiozinho da locadora viram os melhores amigos desses casais.

Mas a verdade, contudo, está nas entrelinhas. O cara só não sai por um motivo único: está namorando. Tanto que quando ela (ou ele, no caso dela) tem outro compromisso e dá alforria a ele (ou a ela) ou está viajando, o espírito do maníaco (olhos de tigre, patas de urso) reencarna sobre o loser e ele, num acesso incontrolável de ansiedade, sai ligando para todos os amigos da ativa. Topa qualquer coisa, desde bar do G até pagode no mestiço.
O mais legal é ver como o mundo dá voltas e esses mesmos sujeitinhos “centrados”, “cheios de experiência”, “maduros” e “bem resolvidos”, de uma hora para outra, viram crianças quando ficam solteiros. Aí, o mesmo cara que dizia que não saía porque “estava velho demais para essas baladinhas”, aos 33 anos, quer sair de segunda a segunda, não importa pra onde. Topa até farmácia do Ambrósio. Bebe 10 caipirinhas, cai no chão, vomita, tenta agarrar mulher bonita, mulher feia, ex-mulher de amigo, mulher de amigo e por aí vai. Bate o carro, perde a chave, dorme na rua, sobe muro da própria casa na Vila lobão e é confundido com ladrão, é expulso até de posto de atendimento médico, rola na lama. É o fim do ser humano. Perde completamente a noção. Patético. Orgulho zero. Idiota-social!!! (to sendo específica neste caso, notaram ne?)

A desculpa do “tenho trabalhado muito” também é ridícula. Tudo é relativo. O emprego da pessoa sempre foi o mesmo. Mas, quando ele(a) tá solteiro, não importa se ele entra no trampo às 9h da manhã e para isso vai acordar às 7h30. O cara sai, chega em casa às 3h30, dorme umas quatro horinhas e agüenta o outro dia de labuta feliz e contente, ainda que de ressaca monstra. Mas quando está namorando, curiosamente, o trabalho vira desculpa para não meter a cara na rua. Aí ele vem e diz: “ah, tenho que acordar às 7h. Então preciso estar em casa umas 22h, dormir cedo pra acordar cedo e ver o jornal, para me manter informado”. O que dizer sobre isso? Nada. Simplesmente patético. Ridículo. Desprezível. Ou melhor, RISIVEL. Impossível não sacanear um cara desses quando ele vier com discursinho “maduro” de novo.


A idade não importa. Tenho um amigo, hoje com quase 35 anos, que ficou solteiro perto dos 30. Na ocasião, ele saía todo dia. Todo dia mesmo. Ficou anos recluso e depois não passava uma noite em branco. Depois, começou a namorar de novo e desapareceu. E volta com a velha desculpinha de que “tem trabalhado muito” ou “está muito velho para isso”. Credibilidade zero.

Daqui a uns anos, se separa e vai cair na guerra ainda mais sem limites.
A vontade de cair na balada é um estado de espírito constantemente renovado, hehe. A balada tem atrativos muito interessantes, que vão muito além do clima de azaração. Quem não é bem resolvido com isso simplesmente desaparece do mundo quando se enrola com alguém. Ou então só sai escondido. Mas a vergonha de assumir suas verdadeiras intenções faz os losers esconderem-se atrás de desculpinhas esfarrapadas. Meu, assume. Bota a faca no dente e fala: “não vou sair, porque estou comprometido e só vejo graça na balada se for pra pegar alguém”. Pronto, doeu?

PS: Apesar de patética, a classe dos idiotas-sociais tem meu respeito e simpatia. Até porque acho que. as vezes. faço parte da mesma... hehe.. (ô contradição hein)

Sei que as vezes me atropelo nas palavras, mas ta valendo, sei que voces entenderam.
É isso aí, beijomeliga!!!

6 opiniões importantes:

Borabora disse...

"Bebe 10 caipirinhas, cai no chão, vomita, tenta agarrar mulher bonita, mulher feia, ex-mulher de amigo, mulher de amigo e por aí vai. Bate o carro, perde a chave, dorme na rua, sobe muro da própria casa na Vila lobão e é confundido com ladrão, é expulso até de posto de atendimento médico, rola na lama........."

uhesuhseuehueeuahuehuhahae""""

Alô Edilson... akele abraço!!!!!
uasuashaushahs

Natal Marques disse...

Acho que me enquadro!

Bom blog. Escreve muito bem. Meus parabéns!

Samuel Souza disse...

Segura!
Ainda bem que eu não bebo...

Tycia disse...

Pra mim, a desculpa mais aceitável é: 'nao vou pq to liso(a). rsrs

Rodrigo disse...

Ainda bem que eu não bebo[2]

Professor Denis disse...

LENDO ESTA POSTAGEM LEMBREI-ME DE UMA AMIGA DA ÉPOCA ESCOLAR, ESTUDAMOS DO PRIMÁRIO AO SEGUNDO GRAU JUNTOS E DEPOIS CADA UM TOMOU RUMO DIFERENTE...NUNCA MAIS SOUBE DELA , E PARECE QUE ELA NÃO USA ESSAS FERRAMENTAS TECNOLOGICAS.DEU SAUDADE DELA AGORA.

Postar um comentário

A leitura especializada é útil, a diversificada dá prazer!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.