terça-feira, 6 de outubro de 2009

E a culpa, é de quem?

Outro dia eu tava em um lugar desses qualquer pela imperosa bebendo cervejinha com uns amigos, quando um homem entrou pra pedir dinheiro, cena muuuuito comum.O homem tinha dificuldades na fala, trajava a camisa da seleção (dessas que a gente usa sempre... sempre que o Brasil ganha a copa ou algum jogo).
Ele parou na nossa frente e disse que podia estar matando ou roubando, mas não era "cabra safado", então estava ali pedindo a nós cidadãos brasileiros como ele, que ajudassem-no a comprar um 'cafezinho', mas eu já disse que isso é uma cena comum e não foi o que me trouxe aqui.

Na mesa ao nosso lado estava sentada uma senhora bem-vestida, fumando e bebendo cerveja, ela fez vista grossa ao ver o homem entrar e reclamou ao me ver dar dinheiro a ele. Ela argumentou que o dinheiro que eu tava dando seria para a compra de drogas. Eu deixei bem claro que eu sabia da existência dessa possibilidade, mas era bem melhor que eu desse o dinheiro voluntariamente, antes que ele resolvesse matar ou roubar. Puxa vida! Eu raramente dou dinheiro pra aguém assim na rua, até sou contra isso, sério; é um baita de incentivo pra ele continuar pedindo, mas puxa, justamente no dia que dou uma grana pra alguém, tem uma pessoa do lado pra me recriminar? Aff.

Ela retrucou dizendo que é tudo culpa do governo, que não dá educação nem emprego aos "menos favorecidos"
PQP, mania desgraçada de todo o mundo de sempre colocar a culpa no governo, é como diz o ditado popular: Errar é humano, colocar a culpa nos outros é estratégico, colocar a culpa no governo é invenção brasileira.
Eu pensei em mostrar a mulher essas coisas que ela com certeza tá acostumada a ver na tv no intervalo das novelas de que o governo é uma vergonha mesmo, mas quem escolhe somos nós, (menos no Maranhão)que o governo é o reflexo dos cidadãos, de que você tem que votar consciente e todo esse blá blá blá, ou ainda que nós somos a maioria, se nós quiséssemos poderíamos sim mudar o nosso governo[/comunista revolucionária], mas me resumi a falar que "é bem mais prático colocar a culpa no governo mesmo, afinal somos nós quem os colocamos lá, se eles não fazem o que devem fazer, tem que servir pra alguma coisa e que essa coisa seja levar a culpa por tudo, ora bolas".
...se bem que, se fosse ver por esse lado; nós maranhenses seríamos os únicos no país a poder reclamar do governo, já que não fomos nós que colocamos lá; votamos em um, e 'somos governados' por outro... Hum.. mas isso já é outra história... assunto de gente grande, nem me meto.


Voltando, a mulher não gostou, se levantou e disse que eu sou muito jovem pra entender, que sou cega e não consigo ver a realidade, mas que um dia eu enxergaria tudo. Eu só pude responder a ela que eu não sou cega, sou míope, e a culpa disso nem é do governo. Tudo bem, como recebi uma boa educação dos meus pais, eu não ia ficar dando 'respostas' ou discutindo com uma senhora de idade né.

Brasileiros, principalmente maranhenses, se acostumam facilmente com qualquer coisa. É normal ver notícia de desvio de dinheiro, roubo, CPI, é normal desembolsar dinheiro pra pagar impostos e mais impostos, é normal ver escola pública sem professor ou professores em greve, polícia em greve, é normal ver muita gente fazer merda por aí, mas eu nunca vi ninguém se mobilizar, nunca vi ninguém se levantar e gritar 'ô mano, isso aí tá errado, não é assim que a banda toca'.

Eu queria ter sido jovem era naquele tempo, em que a galera se pintava de verde-amarelo e iam pras ruas gritar pelo que queria: Diretas Já, Fora Collor, \o/ etc. Mas não, sou do tempo em que a galera faz manifesto pela internet. Vejo e leio em muitos blogs por aí, a galera fala, fala, protesta, protesta; escrevem coisas e mais coisas em seus blogs, mas tipo assim, não passam disso. Não fazem nadaaa.
Nem eu, que tô escrevendo isso tudo. Agora já chega porque eu sei que esse texto aqui vai ter tanta importância quanto um horário eleitoral ou algum manifesto via online.

Obs.: Depois da mulher sair do meu lado e ir embora pra sempre da minha vida, um rapazinho com cara de revolucionário, desses que usam barba e boina pra parecer o Fidel, sentou do nosso lado. Pouco tempo depois um garotinho de no máximo 10 anos entrou com a mesma finalidade do homem. O rapaz ao meu lado comentou que o garoto não tinha nenhuma perspectiva de futuro e eu disse que o povo sempre culpa o governo por essas coisas.
Ele concordou... Com o povo.
Queridos rapazinhos-revolucionários-de-vitrine, parem de fingir que estão lendo o manifesto comunista. Lembrem do que a tv senado diz todos os dias nos seu programa engajadinho: os jovens são o futuro dessa nação.

Eu nem gosto de falar ou escrever sobre essas coisas, porque quando começo, eu até me empolgo, e quem sabe a senhora lá tem razão, sou muito jovem pra entender essas coisas...

Parei, agora é sério.
Beijonãomeliga! =P

2 opiniões importantes:

Rodrigo Itz Const. disse...

"Queridos rapazinhos-revolucionários-de-vitrine" kkkkkkkkk
essa foi demais
Vc é jovem sim, e entende de muita coisa, so falta saber o lado certo. adorei o texto, vc se empolga mesmo. rsrs. bjão

C.Adriano Bandeira Jr. disse...

oi menina, nao conhecia esse teu lado blogueira; gostei muito do que disseste, escreves bem e com clareza(pelo menos na maior parte)(risos). Concordo com voce, eu queria ter sido jovem era naquele tempo, década de 80 e começo dos 90; era grandinho ja mas so queria saber de bola.(risos)
Vou salvar aqui e ler os textos anteriores com mais calma.
linda se cuida

Postar um comentário

A leitura especializada é útil, a diversificada dá prazer!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.